quinta-feira, 21 de abril de 2016

BARCELONA Luis Suárez acredita que atacante Neymar é cobrado injustamente por derrotas do Barcelona

Para o uruguaio, incomoda que apenas Neymar seja responsabilizado pelos resultados

 AFP / LLUIS GENE
Suárez (E) ainda ressaltou que é preciso atribuir ao time todo a responsabilidade pelos sucessos e fracassos
O Barcelona voltou ao trilho das vitórias após fase em jejum – e em grande estilo, já que aplicou um extraordinário 8 a 0 sobre o La Coruña -, e no clima de vitória, Luis Suárez, autor de quatro gols no massacre, aproveitou para desabafar sobre o momento ruim que o time vivia até então. Para o uruguaio, incomoda que apenas Neymar seja responsabilizado quando o rendimento culé não é o esperado e os resultados não aparecem.
“Dói que responsabilizem só a ele pelas derrotas. É um rapaz com sentimentos e é meu amigo. Todos nós nos apoiamos. Ele está demonstrando com atitude que não irá abaixar os braços”, declarou Luisito.
Neymar já acumulava um longo período sem balançar as redes quando finalmente conseguiu marcar na última partida, justamente o oitavo gol do triunfo desta quarta-feira. O camisa 11, recentemente, foi criticado publicamente pela imprensa espanhola devido a seu comportamento extracampo, recheado de festas e viagens ao Brasil.
Suárez ainda ressaltou que, ainda que exista uma cobrança maior em cima do trio MSN, por serem os três jogadores de maior destaque da equipe, é preciso atribuir ao coletivo a responsabilidade tanto pelos sucessos quando pelos fracassos do time.
“Estamos cientes de que ajudamos muito a equipe, que somos os três que jogam regularmente, mas ninguém é intocável. Ninguém deve assumir a plena responsabilidade quando algo dá errado. Somos todos nós que ganhamos ou perdemos”, explicou.

Correio Braziliense

domingo, 7 de dezembro de 2014

Vitória perde para o Santos e está rebaixado no Campeonato Brasileiro

Vitória perde para o Santos e está rebaixado no Campeonato Brasileiro
Foto: Max Haack/Ag Haack/Bahia Notícias
Em um jogo muito brigado, mas sem nenhuma criatividade no ataque, o Vitória acabou perdendo para o Santos por 1 a 0 e acabou rebaixado para a Série B 2015. Mesmo com o apoio de sua torcida e enfrentando um time desmotivado, o Leão da Barra não conseguiu vencer e viu o Palmeiras, mesmo com um empate, se manter na primeira divisão nacional.

Precisando do resultado a qualquer custo, o Vitória acabou assistindo o time santista dominar os primeiros lances de ataque no Barradão. Logo com 2 minutos de jogo, Daniel Guedes cruzou na área e Damião cabeceou com a bola desviando em Kadu. Logo depois, aos 3, o atacante alvinegro teve outra boa oportunidade e acabou furando no momento da finalização.
 
Mesmo com a torcida empurrando o seu time, o Vitória não conseguia criar alternativas no confronto e via o time visitante dominar a partida. Mesmo assim, o Leão da Barra passou a arriscar de fora da área e por pouco não abriu o marcador. Depois de José Welison, foi a vez de Ayrton, aos 9, soltar a bomba e obrigar a uma boa defesa de Aranha.
 
Mostrando mais domínio de bola, o Santos parava na marcação do Vitória, que seguia valorizando os lances de bola parada para abrir o marcador. Aos 15, outro lance perigoso para o time rubro-negro aconteceu quando Gabriel cruzou para Leandro Damião e Fernandez saiu para interceptar. Logo depois, Gabriel chutou na pequena área e acertou o travessão do time local.
 
Com os atletas do Vitória claramente nervosos, o Santos seguia com mais tranqüilidade em chegar ao setor defensivo baiano. Aos 20, outra bola cruzada na área teve Thiago Ribeiro não chegando a tempo e deixando a pelota descer pela linha de fundo.
 
Aos poucos, o jogo foi perdendo ritmo e o as duas equipe concentravam seus passes no meio de campo.  Sem acertar o pé, o Vitória seguia arriscando de fora da área, mas não levava perigo ao gol santista. Já os paulistas não conseguiam mais chegar ao ataque e passaram a valorizar longos lançamentos para a defesa do rival.
 
Aos 31, em cruzamento perigoso de Vinícius, Aranha mais uma vez se destaca interceptando o lançamento que visava Edno. Com um time mais fechado, o Vitória passou a ditar o jogo e ter mais lances efetivos ao gol alvinegro. Mesmo assim, o Santos teve mais uma chance de gol desperdiçada com Thiago Ribeiro que recebeu lançamento e cabeceou acima do gol do Leão.
 
 Aos 41, o Vitória teve a melhor chance do primeiro tempo. Marcinho chuta de fora da área e Aranha toca com a ponta dos dedos colocando para escanteio. Na cobrança, o goleiro do Peixe afasta e Kadu não se aproveita de falha na zaga para abrir o marcador.
 
Com os Rubro-Negros mais avançados, o Santos voltou a ter espaços na defesa anfitriã. Entretanto, as duas equipes seguiam sem uma referência na pequena área e não conseguiam finalizar os seus avanços. Dessa maneira, o primeiro tempo terminou sem gols e com muita vaia da torcida. 

Após 22 minutos de intervalo, as duas equipes retornaram a campo e o Vitória quase fez o primeiro em lançamento que foi interceptado pelo goleiro adversário. Mesmo assim, o jogo seguiu com um ritmo lento e de pouca criatividade dos dois lados.
 
Sem demonstrar nenhuma motivação de jogo, o Santos passou a esperar o Vitória e partir para o contra-ataque. Porém, continuava a não ter precisão nas finalizações. Aos 7, Neto Coruja faz um bom lance com Cáceres, mas o paraguaio é desarmado pela defesa paulista.
 
Pressionando totalmente o time visitante, a equipe de Ney Franco conseguiu dar mais volume ao seu setor ofensivo. Mas, a falta de um jogador de área prejudicava as investidas do clube baiano e preservava o empate sem gols.
 
Aos 16, mais uma chance desperdiçada pelo Vitória. Ayrton cruzou na área, a bola foi rebatida pela defesa e sobrou para o escanteio. Depois, o próprio Ayrton recebeu livre na linha de fundo mas errou no cruzamento.
 
Totalmente avançado, o Vitória deixou o Santos preso em sua própria defesa e não deixava a defesa do Peixe respirar. Aos 19, Edno teve outra boa chance em cobrança de falta que parou nas mãos do goleiro Aranha em dois tempos.

Na segunda metade da etapa complementar, o jogo acabou se tornando mais truncado e as duas equipes não conseguiam produzir um bom futebol no Estádio do Barradão. Mesmo assim, o Vitória se manteve com uma marcação mais avançada e se atrapalhava nas conclusões. O Santos apenas marcava e assistia os baianos se concentrarem mais e mais no ataque.
 
Aos 32, mais um lance de Edno levou perigo ao gol alvinegro, mas apenas passou perto da meta. Logo depois, aos 34, Damião também teve boa oportunidade e chutou acima de Gatito Férnandez.
 
Precisando a todo custo do gol, o Vitória se lançou totalmente ao ataque e em um puro lance de desespero, Kadu desviou de cabeça e tirou a oportunidade do gol da equipe rubro-negra. 

Nos últimos minutos, o desespero tomou conta do time do Vitória, que também demonstrava muito cansaço físico entre os seus atletas. Mesmo assim, o Leão da Barra levou mais um lance perigoso a meta paulista, que tinha Aranha atento para a interceptação.

Devido ao atraso na reposição de bola do Santos, o árbitro Anderson Daronco levou a partida até os 50 minutos. Mas, aos 49, Thiago Ribeiro se aproveitou de um erro de marcação da defesa rubro-negra para sepultar as esperanças da torcida local. 

FICHA TÉCNICA
Vitória x Santos 
Série A - 38ª rodada
Local: Barradão, em Salvador (BA)
Data: 7 de dezembro de 2014, domingo
Horário: 16 horas (horário de Salvador)
Árbitro: Anderson Daronco (RS-ASP-FIFA)
Assistentes: Fabio Pereira (TO-FIFA) e Rafael da Silva Alves (RS-ASP-FIFA)
Cartão Amarelo:Alison, Aranha
 
Vitória: Júnior Fernandéz; Ayrton, Kadu e Ednei; Neto Coruja, José Welison, Luís Cáceres (Willie), Richarlyson e Marcinho (Juan); Vinícius (Beltrán) e Edno. Técnico: Ney Franco.
 
Santos: Aranha, Daniel Guedes (Serginho), Neto, David Braz e Caju; Alison, Renato e Lucas Lima; Thiago Ribeiro, Gabriel (Cicinho) e Leandro Damião. Técnico: Enderson Moreira.

Bahia Notícias

domingo, 21 de setembro de 2014

Vitória vence Ba-Vi com virada na Arena, salta na tabela e empurra o Bahia para a degola

Kieza, Kadu e Luiz Gustavo, nesta ordem, marcaram os gols do clássico
Foto: Arquivo Correio




A festa voltou a ser rubro-negra depois de um Ba-Vi. Aos olhos atentos de mais de 25 mil torcedores na Arena Fonte Nova, o Vitória arrancou, de virada, o triunfo sobre o Bahia no clássico do returno do Brasileirão, pondo fim à sequência de oito embates sem conseguir vencer o maior rival. O Esquadrão saiu na frente com apenas cinco minutos de jogo, com Kieza, o Rubro-negro empatou logo em seguida, com Kadu e nos primeiros minutos da segunda etapa marcou o gol da virada com Luiz Gustavo, fechando em 2 a 1 o placar da partida da 23ª rodada.
Com três pontos a mais, o Rubro-negro foi a 24 e deu um salto de seis posições na tabela, da lanterna para a 14ª colocação. De quebra, o Vitória ainda empurrou o Bahia de volta para a zona do rebaixamento. Com os mesmos 23 pontos, o Tricolor perdeu duas posições e caiu para 18º.
O Leão sai de solo baiano para a disputa de seu próximo compromisso. Na quinta-feira (25), o Vitória encara o Palmeiras, no Pacaembu, às 19h30, em mais um embate de times da parte de baixo da tabela. A Arena Fonte Nova volta a ser o palco do Bahia na próxima rodada. Na quarta-feira (24) o Esquadrão recebe o Sport, com bola rolando a partir das 21h.
Começou com tudo - Início de jogo em altíssima rotação na Arena Fonte Nova. Com o duelo pegado na disputa de bola, mas aberto, as duas equipes aproveitavam os espaços para buscar o ataque e a rede não demorou balançar. Logo aos cinco minutos o Bahia abriu o placar. Depois da bola cruzada para a área do Vitória, Kieza apareceu sem marcação e aproveitou para cabecear e iniciar a contagem. Mas o Leão foi rápido na reação e empatou três minutos depois. Richarlyson levantou para a área tricolor na cobrança de falta e Kadu completou depois do bate-rebate.
O ritmo da partida continuou acelerado depois do empate, com o Vitória mostrando um pouco mais de controle de bola e dinamismo nos passes e ameaçando nas investidas em direção à área tricolor. O Bahia também não se intimidava, mas tinha mais dificuldade para conseguir completar as jogadas no ataque. A melhor chance rubro-negra depois do gol saiu aos 27 minutos, quando Nino mandou o cruzamento da direita, Dinei subiu na pequena área, mas cabeceou por cima do gol. O Esquadrão deu o seu susto aos 34'. Léo Gago pegou a sobra da bola cruzada na área do Vitória, mandou o chute e a bola passou perto, mas por cima do gol de Gatito.
Por muito pouco a virada rubro-negra não aconteceu aos 38 minutos de jogo, quando Roger Carvalho desviou o cruzamento para a área do Bahia de cabeça, mas a bola foi no chão e em seguida acertou a trave de Marcelo Lomba. Nos minutos restantes do primeiro tempo foram poucas as chances para os dois lados, com o embate equilibrado, e o empate prevaleceu até a saída para o intervalo.
Leão mais à frente - O Bahia voltou com modificação ofensiva para o segundo tempo, com Maxi no lugar de Léo Gago, mas foi o Vitória quem passou a tomar a iniciativa de ataque quando a bola voltou a rolar. E o passo à frente para buscar a virada acabou recompensado logo aos sete minutos da etapa final. Luiz Gustavo mandou o chute forte e rasteiro de fora da área, a bola acertou a trave e depois desviou na perna de Marcelo Lomba antes de invadir o gol. O Bahia não conseguia articular os passes para chegar no ataque e o Vitória aproveitava para continuar oferecendo perigo.
Refletindo o momento de pressão do Vitória mesmo depois de virar, na marca dos 17 minutos, mais uma vez a comemoração rubro-negra parou na trave. Nino Paraíba mandou o cruzamento, Juan cabeceou e acertou o travessão de Marcelo Lomba. O Bahia demorou a mostrar objetividade na busca pelo empate e só voltou a chegar com perigo aos 30 minutos, com Rafinha. Ele mandou o chute de longe e a bola passou tirando tinta da trave no ângulo direito de Gatito Fernandez.
Mesmo com a vantagem no placar, o técnico Ney Franco não deixou o time do Vitória recuar, seguiu fazendo mudanças ofensivas e provocou a equipe a continuar mostrando mais iniciativas que o Bahia. Com poucas chances criadas para mudar a situação, o Bahia não teve força para evitar a derrota diante do arquirrival.
Vitória 2 x 1 Bahia - 23ª rodada do Brasileirão 2014
Data: 21/9/2014, 16h
Local: Arena Fonte Nova, em Salvador
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG/FIFA)
Assistentes: Fabio Pereira (TO/FIFA) e Cleriston Clay Barreto Rios (SE/FIFA)
Vitória: Gatito Fernandez; Nino Paraíba, Roger Carvalho, Kadu e Juan; Luiz Gustavo, Richarlyson (Mansur), Cáceres; Marcinho, Vinícius (William Henrique) e Dinei (Guillermo Beltran). Técnico - Ney Franco
Bahia: Lomba; Railan, Demerson, Lucas e Pará; Uellinton, Rafael Miranda, Léo Gago (Maxi Biancucchi) e Marcos Aurélio (Branquinho); Rafinha e Kieza. Técnico - Gilson Kleina

Correio da Bahia

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Bahia 2 x 0 Vitória - A chuva ajudou e o Bahia quebrou tabu contra o rival

Delegaçao do Vitória chegou atrasada Na Arena Fonte Nova e não entrou ligada em campo


Salvador, BA, 9 (AFI) – O Bahia levou a melhor no duelo contra o seu tradicional rival, o Vitória, ao levar o Ba-Vi, por 2 a 0, nesta quarta-feira à noite, na Arena da Fonte Nova, pela 27.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os dois times, porém, estão em posições parecidas. O Bahia, com 36 pontos, ocupa a nona posição, enquanto o Vitória, com 37 pontos, ocupa a sexta posição.

 Confira! 

 
Na verdade, o Vitória perdeu o jogo antes dele começar. A delegação demorou para deixar a concentração no Barradão e depois enfrentou dificuldades para chegar até a Fonte Nova, devido a chuva e ao trânsito complicado de Salvador. O time chegou ao estádio somente às 20h35, enquanto normalmente osjogadores começam a se preparar uma hora e meia antes do jogo – seria então às 19h30.
O jogo atrasou 11 minutos para começar, mesmo assim sem os hinos dos tocados costumeiramente: o do Estado da Bahia e do Brasil. Resultado: há dois anos e cinco meses o Bahia não vencia o Vitória, desde maio de 2011. No primeiro turno do Brasileirão, houve empate sem gols.

O gramado da Arena Fonte Nova, um dos estádios da Copa do Mundo do ano que vem, não sentiu o castigo da forte chuva que caiu o dia inteiro na cidade e auxiliou o espetáculo, que começou em alta velocidade, com os dois times buscando o ataque.
GOLS RAPIDOS
O Bahia entrou em campo na hora certa e começou o jogo mais ligado. O técnico Cristovão Borges surpreendeu ao escalar três atacantes: Fernandão no meio de Wallyson e Willian Barbio.
O Vitória, atrasado, iniciou no tradicional 4-4-2.
O primeiro gol saiu aos 16 minutos, quando Wallysson cobrou escanteio e Rafael Miranda, mesmo sendo baixinho, apareceu no primeiro pau e desviou de cabeça.

O Vitória demorou para acertar a marcação e sofreu o segundo gol aos 26 minutos. Barbio desceu pelo lado direito e soltou a bomba. A Defesa rebateu e Fernandão bateu forte e de primeira.
Este foi seu 12.º gol pelo Brasileirão, sendo agora o artilheiro maior do Tricolor baiano nos tempos de pontos corridos. Em 1978 o folclórico Beijoca marcou 12 gols e o recorde ainda é de Cláudio Adão, que marcou 18 gols na temporada de 1986, mas que não era disputado por dois turnos como acontece atualmente.
NADA MAIS
No segundo tempo, o Vitória tentou reagir. O técnico Ney Franco tentou ganhar força com a entrada de Alemão, ex-Ponte Preta. E foi dos pés dele que saiu a melhor chance do rubro-negro marcar, aos 26 minutos. Ele fez jogada individual, pelo lado direito da área, e bateu cruzado. A bola tocou no pé da trave e saiu.
Antes disso, aos 13 minutos, quase que o Bahia ampliou com Rafael Miranda, que pegou rebote da defesa e chutou forte. A bola explodiu no travessão e voltou para o campo de jogo, onde a defesa aliviou.
No mais, o Bahia controlou as ações de meio-campo, tocou a bola e deixou o tempo passar. A noite não era mesmo do Vitória. Já tinha começado mal, debaixo de muita chuva.
PRÓXIMOS JOGOS
O Bahia, animado, vai fechar a 28ª rodada contra o Goiás, no Estádio Serra Dourada. No sábado, às 18h30, o Vitória vai receber o Coritiba.
 
Agência Futebol Interior

quarta-feira, 1 de maio de 2013

SANTIAGO FUTEBOL CLUBE, COMPLETA HOJE 1 ANO DE SUA FUNDAÇÃO

SANTIAGO FUTEBOL CLUBE completa no dia de hoje, primeiro de maio, o seu primeiro ano de fundação. Ainda estamos em fase de propagação do desenvolvimento do projeto que levará o SANTIAGO FUTEBOL CLUBE ao conhecimento geral da população e obviamente adentrar nos calendários esportivos da nossa cidade! Aguardemos, então!
SANTIAGO FUTEBOL CLUBE

domingo, 17 de março de 2013

Campinense é o grande campeão da Copa do Nordeste





O Campinense é o grande campeão da Copa do Nordeste 2013, competição que voltou a ser promovida com sucesso pela CBF. Jogando em casa, em Campina Grande, o Campinense não precisou valer-se da vantagem - podia empatar e até mesmo perder por 1 a 0 - e impôs o seu melhor futebol para derrotar o ASA por 2 a 0 e ficar, merecidamente, com o título.
O jogo foi intensamente disputado no primeiro tempo, quando o ASA demonstrou que ia lutar muito e mostrou-se um adversário à altura. Com oportunidades de lado a lado, em que os goleiros apareceram bem, o placar se encerrou na primeira fase em 0 a 0.
Mas bastou um minuto do segundo tempo para o Campinense abrir o marcador. Zé Paulo fez boa jogada, cruzou e o artilheiro Jefferson Maranhense apareceu entre os zagueiros para anotar 1 a 0.
O gol aumentava a vantagem do Campinense, o que fez o ASA partir com tudo para descontar. O jogo continuou equilibrado, até que aos 34 minutos Rafael Maranhão, que entrara no lugar de Bismarck, marcou o 2 a 0 que deixava o título cada vez mais próximo (4 a 1 no placar agregado).
Fim de jogo, justa vitória de 2 a 0, e delírio dos torcedores no Ernani Satyro, com a conquista do título inédito - Campinense, campeão da Copa do Nordeste 2013.
O diretor de Competições da CBF, Virgílio Elísio, e a presidente da Federação Paraibana de Futebol, Rosilene Gomes, entregaram a taça de campeão e as medalhas aos jogadores do Campinense.
Campinense: Pantera; Tiago Granja, Anderson Carvalho, Roberto Dias e Panda (Danilo Portugal); Edvânio, Dedé, Glaybson e Bismarck (Ricardo Maranhão); Zé Paulo (Andrezinho) e Jeferson Maranhão.
ASA: Gilson; Osmar (Kessi), Fabiano, Edson Veneno (Rafael Pedro) e Chiquinho Baiano; Cal, Jorginho, Tallyson (Pedro Silva) e Didira; Wanderson e Léo Gamalho.
Gols: Jeferson Maranhão, a 1 minuto do segundo tempo; e Ricardo Maranhão, aos 34 (Campinense).
Cartões amarelos: Edson Veneno e Chiquinho Baiano (ASA).
Cartão vermelho: Fabiano (ASA).

www.cbf.com.br

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Santiago Futebol Clube no Campeonato de FUTSAL de Pindobaçu

A equipe do SANTIAGO FUTEBOL CLUBE, comandada pelos dirigentes Pablo e Marcondes, participa do Campeonato de Futebol de Salão que acontece no Ginásio de Esportes no Bairro Antonio José de Carvalho.  Abaixo, imagens dos atletas no segundo jogo em que a Equipe venceu o adversário pelo placar de 3 a 2.


















Elenco: da esquerda para a direita. Em pé:  Dominguinhos,
Nenê Bahia, Ivan, Jero e Heberly.
Agachados: Pablo (técnico), Júnior e Thiago.